¿Que é a apropriação indevida?

Trata-se de uma conduta não ética pela que um sujeito ao receber dinheiro ou qualquer outro bem, em virtude de uma relação jurídica, qualquer que esta fosse e que ademais tem a obrigação de devolver o recebido, longe de cumprir com ela, o incorpora a seu patrimônio ou dá-lhe um uso diferente do que correspondia.

A apropriação indevida é um delito separado da fraude ou o roubo, já que supõe um prejuízo patrimonial, sendo sua característica principal. Isto é, o delito de apropriação indevida baseia-se no castigo da administração desleal do patrimônio alheio com abuso da confiança.

As características para identificar à apropriação indevida são:

  1. Que tenha recebido dinheiro, efeito, valores, objetos ou qualquer ativo patrimonial que não seja seu.
  1. Que o tenha recebido por qualquer motivo pelo qual tenha obrigação do devolver. Por exemplo, tê-lo recebido em depósito, comissão ou administração.
  1. Que não o devolva e o incorpore a seu patrimônio pessoal.

E como exemplo deste tipo de conduta não ética encontramos:

  • Um caixa que maneja e administra os fundos de sua entidade que os apropria.
  • Um conselheiro delegado de uma empresa que desvia fundos da entidade em seu benefício.
  • Um administrador de fincas que se apodera dos fundos das comunidades de proprietários.
  • Um transportador que se apodere da mercadoria que lhe encarregaram transportar.

Os Sistemas Éticos de Denúncias têm como missão ao interior e exterior das empresas, prevenir este tipo de condutas não éticas que atentam contra a missão-visão das organizações e ademais poderia pôr em dúvida a confiança na instituição e portanto situar em alto risco a busca de um desenvolvimento sustentável e exitoso da companhia à que se pertence.

Como método de prevenção, as linhas de denúncia estão cobrando grande importância no mundo atual, os empregados converteram-se nos vigilantes das normas e serão eles quem através de um canal anônimo, façam saber qualquer tipo de infração que se cometa ao interior e exterior das empresas como a apropriação indevida.

O roubo de informação

No século XXI existe um alto risco de que os empregados copiem, destruir, modifiquem ou suprimam informação da companhia. Base de dados, mapas, documentos confidenciais, métodos de negócio, correios eletrônicos, códigos fontes de software, desenhos de produtos e segredos industriais, são susceptíveis de roubo. Os empresários enfrentam problemas de concorrência desleal, fraude empresarial, espionagem industrial e perda de informação, levando em muitos casos até a quebra.

As formas mais comuns para roubar a informação são as cópias em DVD, CD ou memórias USB, pois por sua portabilidade podem mimetizasse em qualquer lugar.

Outros métodos mais modernos incluem a reprodução em telefones móveis, PDAs e calculadoras, o envio de dados a FTP, ou por Internet aos correios pessoais, e sua cópia pela rede em lugares de fácil acesso externo; inclusive, se têm detectado casos nos que empregados levam os discos duros o fim de semana a sua casa, os copiam, e na segunda-feira, como se nada, os ligam e nada passou. Os Sistemas Éticos de Denúncias através das linhas de denúncia anônima se têm convertido no aliado perfeito das empresas que querem combater este tipo de ilícitos de condutas não éticas. Através deste canal de observação e controle das normas estabelecidas por uma empresa, serão os empregados quem tomem um papel importante à o ser eles quem farão evidentes este tipo de condutas e as denunciassem sem temor a represálias ou condutas vingativas.

Desde as próprias origens da atividade econômica, até a data, têm-se registrado múltiplos casos nos que, pessoas com acesso a informação, conhecimentos, técnicas ou know how, propriedade de uma Empresa, se apropriam ilicitamente de ditos elementos com o propósito de obter um benefício próprio ou alheio. No entanto, as tecnologias da informação têm potencializado, multiplicado e acelerado as formas nas que alguém pode subtrair, copiar ou enviar informação, bastando o efeito em muitos casos, de uns segundos para que este tipo de ilícitos se cometa.

O subtrair informação confidencial de uma empresa está penado no marco jurídico mexicano, onde este tipo de conduta não ética se sanciona com danos e prejuízos, e inclusive baixo delito, a comissão deste tipo de condutas com o propósito de obter um benefício econômico, já seja por parte de quem revela a informação, ou bem daquele que se aproveita dessa revelação (tal e como o pudesse ser aquela Empresa que contrate a um trabalhador com o fim de obter informação confidencial de outra Empresa).

 

Combatendo a discriminação trabalhista

Quando falamos de discriminação trabalhista nos estamos referindo ao efeito de situar a determinadas pessoas em uma posição de subordinación ou desvantagem no mercado de trabalho ou no lugar de trabalho por causa de sua raça, cor, religião, sexo, opinião política, ascendência nacional, origem ou qualquer outra característica não relacionada com o trabalho que deve desempenhar.

Em meios a cada vez mais competitivos, muitas empresas precisam achar novos métodos para melhorar a eficiência e aproveitar todos os recursos disponíveis. Em uma era de produção globalizada, é provável que o pessoal das empresas prova de meios diversos, com frequência de diferentes países, que entrem em contato uns com outros. As empresas nas que prevalece uma cultura de igualdade de oportunidades gerenciarão mais facilmente as equipes de trabalho diversos.

A igualdade de oportunidades e de trato permite a todas as pessoas desenvolver plenamente seus talentos e qualificações de conformidade com suas aspirações e gozar de igualdade de acesso ao emprego e de igualdade respeito das condições de trabalho.

Para conseguir a eliminação da discriminação no emprego e a ocupação, não basta com erradicar simplesmente as práticas discriminatorias.

Também é necessário promover a igualdade de oportunidades e de trato no lugar de trabalho em todas as fases da relação de trabalho, incluídas as práticas de aposentação, retenção, promoção e terminação, a remuneração, o acesso à formação profissional e o desenvolvimento das concorrências profissionais.

As práticas não discriminatorias estão a cada vez mais reconhecidas como uma ferramenta de gerenciamento importante para aumentar a eficácia e a produtividade.

O que é mais importante, tratar aos trabalhadores de uma maneira justa é um direito humano que toda empresa deve respeitar.

A diversidade é importante para as empresas, já que com um ambiente diverso pessoas podem ser beneficiado e aprender das ideias de outros. Outras razões da importância da diversidade de muitas organizações são o reconhecimento das diferenças como requisitos prévios para o alto rendimento e a melhora contínua, a melhora da eficácia e a criatividade da organização, e a valoração dos conflitos como oportunidades para a tomada de decisões e a solução mais eficaz resolver .

A diversidade no lugar de trabalho pode reduzir as demandas e aumentar as oportunidades de comercialização, a contratação, a criatividade e a imagem empresarial. Em uma era na flexibilidade e a criatividade são chaves para a competitividade, a diversidade é fundamental para o sucesso de uma organização.

 

A importância do Código de Ética na empresa

“Sem valores sólidos estamos coqueteando com o desastre, com valores sólidos, podemos enfrentar aos mercados internacionais.” Rinnov Kan

No mundo empresarial, quando se fala de ética nos estamos referindo ao mecanismo objetivos (códigos, documentos formais, programas de formação, comitês específicos, assessorias, procedimentos de decisão, sistemas de gerenciamento, etc.)

Através do Código de Ética trata-se de fazer efetivos os valores ou princípios éticos de uma organização. A ética nas empresas deve apelar aos processos que determinam decisões e comportamentos das organizações.

Mediante o respeito e cumprimento dos Códigos de Ética, pode ser acabado com práticas corruptas que destroem valor e danificam a economia e a sociedade

Se estimula-se e fomenta a cultura organizacional, com valores comuns que sirvam como guia para os indivíduos que conformam as organizações poderíamos dar maiores componentes éticos a uma empresa, gerar confiança, lealdade e sustentabilidade ante o mercado. A ética costuma melhorar o funcionamento da empresa mediante várias vias:

  • Reduz os conflitos dos membros que a formam.
  • Melhora a imagem exterior de se mesma.
  • Facilita o comércio internacional
  • Agrega valor e confiança à atividade econômica à que se dedica
  • Supõe um componente essencial do conceito de qualidade “total
  • Atrai a melhor capital humano • Agrega valor à comunidade onde opera.

Um comportamento empresarial ético é um médio para construir uma organização estável e prospera, o comportamento não ético pode repercutir em conflitos e problemas, tanto interna como exteriormente.

 

O engano dos diamantes

As condutas não éticas de empresários, empresas, empregados são um tema que se apresentou ao longo da história e em tempos modernos ou antigos é uma conduta recorrente nos negócios.

Em 1872, Philip Arnold junto com seu primo, John Slack, cometeram um das maiores fraudes no mundo que permanecem na memória e na história. Sem necessidade de subornar a nenhuma pessoa, Arnold e Slack compraram diamantes com o dinheiro que tinham poupado para depois semear em um terreno de Wyoming ao oeste de Estados Unidos. Ato seguido, dedicaram-se a difundir a ideia de que tinham descoberto a maior mina de diamantes em América e levaram a o primeiro experiente a ela, quem achou que os diamantes eram extraídos pela primeira vez da terra. Quando levaram a avaliar as joias, os experientes se deixaram levar pelo entusiasmo da descoberta e sobre avaliar as gemas.

Por 700 mil dólares daqueles tempos, Arnold e Slack aceitaram vender a mina e desaparecer do mapa com uma grande fortuna no bolso. Quando os novos donos chegaram à mina com milhares de dólares investidos em infraestrutura, começaram a cavar e cavar, sem poder encontrar um sozinho diamante. Após vários dias de trabalho, caíram em conta: a fabulosa mina mais valiosa da história não valia nada, não tinha diamantes nem nenhum outro tipo de gema. Dois desconhecidos conseguiram defraudar aos homens e negócios mais inescrupulosos e avezados do Século XIX.

O que nos ensina esta história é uma obra mestre da fraude, além de uma clara falta de ética de negócios por parte dos envolvidos. Na atualidade este tipo de comportamentos são o dia a dia das empresas; por isso, ferramentas tecnológicas como os Sistemas Éticos de Denúncias permitem uma maior prevenção sobre este tipo de incidentes, ademais um grande aliado na busca por reduzir as perdas monetárias que estes casos supõem. No século XIX as caixas de denúncias anônimos eram algo inexistente e por isso, só duas pessoas conseguiram defraudar às mentes financeiras mais astutas do momento.

Hoje em dia, graças ao avanço da tecnologia, as empresas têm a possibilidade de dar-lhe poder a seus empregados mediante uma linha de denúncias, a través da qual, possam reportar todo tipo de condutas não éticas que atentem contra o bem-estar de uma organização. Conquanto, as condutas não éticas em os negócios continuam sendo um problema recorrente, agora se conta com sistemas éticos integrais para lhes fazer frente.

 

 

 

O mystery shopping contra a fraude

Com a intenção de conseguir um negócio mais competitivo de acordo às necessidades do mercado, as empresas têm utilizado a figura do cliente misterioso, cuja função permite a uma organização avaliar a seus empregados com o objetivo final de melhorar a atenção ao cliente e conseguir um serviço bem mais competitivo.

O mystery shopping foca-se entre variáveis de soma importância: operações, rentabilidade e recursos humanos. Estes aspectos estão estreitamente relacionados com incidências de fraude. Desta forma, verifica-se o cumprimento dos alinhamentos da empresa e a conduta ética de seus empregados.

Através do mystery shopping podem ser detectado a nível de operações: a violação dos selos nas portas dos caminhões que entregam a mercadoria às tenda varejistas ou a cobrança na linha de caixas, onde os empregados chegam a entregar mercadoria sem cobrar a familiares, conhecidos e/ou amigos, ou bem, empregados

que rompem mercadorias nas lojas e nos centros de distribuição a propósito para tomar represálias contra a empresa, tudo isto representa uma fraude.

 

Na parte de rentabilidade encontramos o Retail fraudulento com a cobrança das vendas com cartões de crédito ou débito, realizando por exemplo clonagens de cartões, entrega de bilhetes falsos, fraude com os cupões dos cartões assinados pelo cliente, estoques desenhados declarando quantidades que em realidade não existem.

Finalmente no âmbito de recursos humanos pode ser analisado a inconformidade com o lugar de trabalho que gera anomalias operativas por parte do empregado, como a impontualidade, geração e contágio de um não ótimo clima trabalhista, negatividade e condutas não éticas, entre muitas outras mais.

Os relatórios realizados pelos mystery-shoppers provêm informação relevante a respeito da companhia, seus standards, seus programas de treinamento, etc., e são uma grande ajuda para aquelas empresas que desejam aumentar a competitividade de suas organizações ou marcas. Em Latino América é um mercado em constante crescimento, mas só é uma das variadas ferramentas para prevenir incidências como a fraude, roubo, conflito de interesses, etc., que em suma são atitudes não éticas dos membros de uma empresa.

As linhas de denúncia anônima, podem ser entendido como um tipo de mystery shopping, os empregados convertem-se no espião que está pendente de que se cumpram os alinhamentos da empresa e através de diversos canais podem fazer ouvir sua voz e evidenciar a prática de condutas não éticas por parte de suas colegas, com a finalidade de atingir processos de sucesso, lealdade e confiança para a instituição que pertencem e para o mercado.

 

 

 

México e o “branqueou de dinheiro”

A nível mundial, Itália posicionou-se como um dos países com maior tendência ao “branqueou de ou lavagem de dinheiro” como as máfias procuram desviar os recursos produtos de atividades ilícitas. No entanto, uma nação em constante crescimento em torna a dito ilícito e conduta não ética nos negócios é México; inclusive tem-lhe colocado quase simultaneamente que Itália.

Os esforços por parte do governo e o setor privado não têm conseguido mermar os quase 10 bilhões de dólares ao ano que se limpam em nosso país. A lavagem de dinheiro em lugar de reduzir-se, vai em aumento nos últimos anos, situando a México como um país em risco e altamente vulnerável ante este tipo de negócios ilícitos. A investigação “Lavagem de dinheiro em México: alcances e reptos pendentes”, realizada pela Direção Geral de Análise Legislativa do Instituto Belizário Dominguez (IBD) do Senado da República, assinala que em 2014 se registraram 114 mil operações incomuns, cifra maior em 38 mil 500 casos ao ano anterior, o qual representa um incremento do 50 por cento. O panorama luze desolador em América Latina, já que os controles não são tão rigorosos como em Europa, Latino América pode ser considerado um paraíso para o branqueou de dinheiro, sendo Paraguai a nação mais propensa a cair nas garras deste tipo de ilícitos.

Para palear a lavagem de dinheiro, o Grupo de Ação Financeira Internacional (GAFI) propôs medidas essenciais que se classificam em seis categorias: 1) identificar riscos, desenvolver políticas e medidas de coordenação; 2) lutar contra a lavagem de ativos; financiamento do terrorismo e financiamento de seu proliferação; 3) aplicar medidas preventivas para o setor financeiro e outros setores; 4) estabelecer atribuições e responsabilidades; 5) melhorar a transparência e a disponibilidade da informação; e 6) facilitar a cooperação internacional”

Nos pontos anteriores, a identificação de riscos, medidas preventivas e a transparências; são aspectos senha para combater a lavagem de dinheiro. Para isso, as linhas de denúncia são um mecanismo eficaz que prevê condutas não éticas, transparenta o funcionamento das organizações e fortalece a confiança em uma empresa. Como método de prevenção, os caixas de denúncias facilitam um canal de comunicação entre os empregados e os diretores, onde se fazem evidentes condutas não éticas que afetam o desenvolvimento das organizações.

Lançando uma linha de denuncias

Como toda nova iniciativa, para lançar uma linha de denúncias se requer um programa eficaz de comunicação e educação. O primeiro passo é que a administração anuncie os objetivos de um programa de linha de denúncias e a razão para o implementar.

Em uma companhia pública, a meta seria oferecer aos empregados a oportunidade de comunicar com a companhia e com o Conselho de Administração. A cada empregado deve receber uma carta ou comunicado anunciando o programa, junto com um cartão de negócios com o número da linha de denúncias. Os empregados devem conhecer o programa em reuniões e as mensagens recebidas devem ser reforçado em tabelas de avisos colocados em todas as áreas de trabalho. Os novos empregados deverão captar esta informação como parte de sua capacitação.

A companhia deve documentar que os empregados têm recebido a informação a respeito da linha de denúncia e seu uso adequado. Para evitar abusos da linha, como o que os empregados chamem para queixar de uma crítica “injusta” do menu da cafeteria, Ademais, algumas empresas pudessem considerar a ampliação do acesso à linha de denúncia a provedores e/ou clientes, mas existe o repto de manter uma difusão de informação e comunicação adequadas sobre o mecanismo de denúncias e seu uso apropriado.

Pelo anterior, é crucial que junto com este lançamento se aplique um programa de capacitação adequado sobre o tipo de assuntos que deveria ser reportado por médio da linha de denúncias,

sua operação e os processos gerais que se gerarão. Este lançamento deverá ir acompanhado de uma capacitação que concientice sobre a importância de uma conduta ética para para que os usuários do sistema desenvolvam uma sensibilidade adequada a possíveis sinais de infrações ao código ético da empresa, incluindo os elementos fundamentais de pressão, oportunidade e racionalização.

Só após uma acertada campanha de difusão, as também conhecidas como “hotlines”, as Linhas de Denúncias permitem prevenir e detectar oportunamente más práticas, transgresiones ou ilícitos ao interior das organizações. Este canal de comunicação é pensado para que colaboradores, sócios, provedores e e clientes de uma organização possam reportar em forma anônima, confidencial e segura, possíveis fatos de corrupção, fraude ou qualquer outra irregularidade.

Con información de: http://www.auditool.org/

A falta de ética no trabalho

Os comportamentos pouco éticos no lugar de trabalho, já seja por parte dos altos comandos ou os empregados, resultam perjudiciales para o ambiente trabalhista e a previdência de uma empresa.

Existem muitos exemplos de conduta não ética corporativa para os empregados e para outros trabalhadores da corrente de fornecimento. A cada ano, são milhares as denúncias que se apresentam contra os empleadores sobre assédio sexual, discriminação na contramão de seus empregados, roubo, fraude, conflito de interesses, entre muitos ilícitos não éticos.

O nível de tolerância para este tipo de ações tem levado aos próprios diretores a aceitar as condutas não éticas como médio de proteção para sua empresa.

Ademais, a constante flutuação do mercado e as crises econômicas, têm fomentado a permanência dos comportamentos não éticos.

De igual forma, as grandes empresas têm relaxem a instauración de procedimentos e políticas antifraude e corrupção ou bem, de cumprimento sobre códigos de conduta. Com respeito ao ano passado, em México a percentagem de companhias que possuem políticas anticorrupción e antisoborno só tem aumentado em um 1%.

Na atualidade, as instituições financeiras vivem uma crise de fala de credibilidade por parte dos inversores.

Uma forma de solucionar este tipo de problema é educar melhor aos membros de uma organização baseado na ideia de melhora contínua nos profissional e organizacional, tomando como refere uma comunicação ilimitada para o lucro de objetivos mediante a liberdade e criatividade de um pensamento honesto. Desta forma, os membros de uma organização deverão ser leais consigo para que a execução de seu trabalho ou serviço que presta tenha objetividade e credibilidade no que se pretende obter, fomenta-se a confiança e gera-se um ótimo e saudável crescimento das empresas.

Um Sistema Ético de Denúncias ajudará a todas aquelas organizações que desejam lutar contra as condutas não éticas corporativas. Através de uma denúncia anônima e dotando aos membros das empresas da capacidade de reportar qualquer ilícito que atente contra a confiança da corporação.

A linha de denúncias maneja por um terceiro, gera um ambiente de credibilidade maior das empresas para o mercado e para seus provedores e clientes.

Apoiando a segurança profissional e a produtividade

As condições de trabalho são uma parte importante na vida e podem ter uma decisiva influência nos níveis de saúde e bem-estar, dentro e fora do âmbito trabalhista. A prevenção de riscos trabalhistas é um dever das empresas e um direito dos trabalhadores, os quais também devem velar pela proteção de sua própria saúde e a de seus colegas.

A gravidade dos consumos de álcool e/ou outras drogas no médio trabalhista tem sido reconhecida desde faz tempo pela OIT (Organização Internacional do Trabalho), que considera que o consumo de álcool e de drogas é um problema que concierne a um número elevado de trabalhadores.

A segurança profissional e a produtividade podem ser visto afetadas de forma adversa por empregados baixo o influjo do álcool ou as drogas Indica também como o consumo de álcool e drogas pelos trabalhadores produz um forte impacto que se estende à familia e colegas de trabalho que são afetados em termos de perda de rendimentos, estrés e baixa moral. Por tanto, o consumo de álcool e outras drogas é um problema que não só afeta ao consumidor, senão também ao ambiente trabalhista e à eficácia da empresa.

O empresário, como máximo garante da segurança e saúde dos trabalhadores, deve realizar umas atividades nestas facetas através de um modelo ativo de atuação preventiva o que supõe que as atuações devem ir encaminhadas à adoção de medidas que garantam a segurança e saúde dos trabalhadores, assim mesmo deve garantir e fomentar condutas éticas dentro e fora do lugar de trabalho.

Como uma ferramenta de ajuda, os Sistemas Éticos de Denúncia se converteram no canal por excelência para fazer notar a incidência de condutas não éticas como o consumo de álcool em horas de trabalho sem temor a represálias ou condutas vingativas. Assim mesmo, são um método de prevenção que dota à empresa de uma maior confiança e credibilidade entre seus empregados ao impulsionar o sentido de pertence e com isso, se consegue uma redução constante de incidências de condutas não éticas nas organizações.

Desde a perspectiva da avaliação de riscos, o consumo de drogas tem uma relevância especial por ser uma CONDUTA DE RISCO que afeta gravemente à saúde e segurança dos trabalhadores e trabalhadoras que as consomem, bem como para outras pessoas do meio trabalhista, os clientes ou a mesma empresa.

Cerca do 75% dos adultos que consomem drogas ilícitas têm emprego, ao igual que a maioria dos que consomem quantidades excessivas de álcool.

Os estudos demonstram que quando se comparam com os empregados que não abusam de substâncias, os empregados que sim o fazem têm mais probabilidade de:

  • Mudar frequentemente de trabalho.
  • Chegar tarde ou faltar ao trabalho.
  • Ser menos produtivos.
  • Envolver-se em acidentes de trabalho.
  • Provocar conflitos.